Categoria:Manutenção de Hardware

De Proetec wiki
Ir para navegação Ir para pesquisar

Manutenção Corretiva

Manutenção Corretiva

Um micro defeituoso pode não conseguir ligar. Ou ao ligar, permanece com a tela preta. Ou emite vários 'beeps' exibindo uma tela preta ao ser ligado. Ou travar depois de alguns minutos de uso. Desliga ou "reseta" sozinho. São inúmeros os problemas possíveis, e também as suas causas. É preciso antes de mais nada, ter um bom conhecimento sobre o funcionamento do micro.

Medindo a bateria da placa-mãe

Para medir uma bateria de computador, usualmente, fazemos uso do multímetro digital. Um bateria nova, possui tensão um pouco acima dos 3 volts (3V). Então, a escala a ser utilizada é de 20V de tensão contínua (VDC - Voltage Direct Current). Para media a bateria da placa-mãe, não é preciso retirá-la. Encoste a ponta de prova vermelha sobre a bateria, e a ponta de prova preta em uma parte metálica da placa-mãe, sugere-se que seja a carcaça externa dos conectores de teclado/mouse/USB (Universal Serial Bus). O computador deve estar desligado. De acordo com a tensão média na bateria, ver Tabela 1, faça a sua troca:

Tabela 1
Tensão Medida Providência
3,0V a 3,4V Bateria nova
2,5V a 3,0V A bateria funciona, e retém corretamente os dados do CMOS Setup, mas o relógio do micro pode atrasar. É melhor trocar a bateria quando você percebe o atraso, ou quando a tensão está abaixo de 3 volts.
Abaixo de 2,5V Além do relógio atrasar, pode ocorrer perda de Setup.
Próximo de 0V A bateria está completamente descarregada. Pode até mesmo impedir que o computador dê partida.

É recomendada a troca da bateria quando ela atingir tensão menor que 3,0 volts. Bateria com 2,9 ainda funciona porém deve-se ficar atento e trocá-la o mais breve.

Trocando a bateria da placa mãe

Atualmente, as placas-mãe usam bateria de lítio, não recarregáveis, modelo CR2032 (3V), que podem ser encontradas facilmente em lojas de informática. Para fazer a troca da bateria devemos inicialmente desligar o computador e desconectá-lo da rede elétrica. A retirada da bateria é feita de acordo com o tipo de soquete. Em soquetes mais comuns, basta pressionar a alça lateral usando uma chave de fenda. Após a retirada da bateria antiga, encaixa a bateria nova. O terminal positivo, indicado com "+", deve ficar voltado para cima.

Tipo mais comum de soquete de bateria
Outro tipo de soquete de bateria

Medindo a tensão da rede elétrica

O mau funcionamento de um computador pode ser causado por uma rede elétrica deficitária. A rede elétrica doméstica no Brasil opera com 127 volts (também chamado de 110 volts) ou 220 volts. Os aparelhos eletrônicos em geral suportam uma tolerância de 10%. Portanto em uma rede de 220 volts devemos ter pelo menos 198 volts, e em uma rede de 127 volts devemos ter pelo menos 114 volts. Não é bom que a rede opere com esses valores próximos dos limites. O ideal é que a tensão esteja mais próxima do valor nominal. No ambiente doméstico é muito comum encontrar tensões baixas na rede elétrica, devido ao uso de fios inadequados ou sobrecarregados.

Para medir a rede de 220 volts use uma escala de tensão alternada (ACV) acima desse valor. Por exemplo, se as escalas de tensão alternada de um multímetro são 200 volts e 750 volts, escolha 750 volts (ACV). Em uma rede de 127 volts use a escala de 200 volts (ACV), mas a de 750 volts (ACV) também seria apropriada.

Observação:  Não toque nas partes metálicas das pontas de prova do multímetro, pois poderá levar choque elétrico.
Importante:  Se a sua rede elétrica tem valor baixo ou sob muita variação, instale um estabilizador de voltagem ou um no-break.
Medindo a rede elétrica 127 volts
Medindo a rede elétrica 220 volts

Fonte de Alimentação

A fonte de alimentação é responsável por abastecer de energia todos os componentes do PC. A escolha de uma boa fonte de alimentação é tão importante quanto uma boa placa-mãe, já que pequenas interrupções ou oscilações no fornecimento de energia para alguns componentes podem comprometer o bom funcionamento de todos os componentes do computador. No mercado existem diferentes fontes com potencias e preços diferentes.

ESCREVER MAIS... POTENCIAL NOMINAL E POTENCIA REAL.

As principais fontes de alimentação são as lineares e as chaveadas. As utilizadas em computadores são as chaveadas e elas recebem esse nome pois uma chave fica abrindo e fechando o circuito o tempo todo, permitindo ou não a passagem de corrente. Outro papel fundamental das fontes é transformar a corrente alternada (AC - Alternate Current) que recebem da rede em corrente contínua (DC - Direct Current), mais adequada para componentes eletrônicos. Fontes chaveadas possuem várias vantagens em relação aos modelos lineares. Dentre elas podemos citar:

  • menor dissipação de calor, já que a fonte conseque otimizar a passagem de energia por ela, praticamente não havendo necessidade de dissipar o excesso em forma de energia térmica;
  • menor consumo, já que praticamente não existem perdas internas;
  • são mais leves, já que não possuem grandes transformadores em seu interior.

As fonte mais antigas, ainda da época dos gabinetes padrão AT, possuem 12 fios (6 em cada conector), contra 20 ou 24 das fontes ATX mais modernas. Outra diferença entre elas é que no padrão AT existia apenas as tensões OV (terra), -5V, +5V, -12V e +12V. Já nas fontes ATX, além das tensões já citadas, existe a de +3.3V. Nas fontes ATX essas tensões são aproveitadas da seguinte forma:

  • +5V → Chipset e alguns tipos de memória.
  • -5V → Periféricos diversos, como mouse, teclado e portas USB;
  • +12V → Dispositivos com peças mecânicas móveis, como HDs, unidades de gravação e leitura de discos ópticos e unidades leitores de disquete;
  • -12V → Usado em alguns barramentos de comunicação, como o ISA;
  • +3.3V → Usado pelo processador.
Observação: Nas fontes padrão AT o processador utilizava a tensão de +5V.

Veja abaixo a posição correta de cada fio e sua respectiva tensão.

Pino, cor e tensão

Dos 24 pinos existentes nas mais modernas fontes ATX, dois deles têm funções interessantes. O primeiro, chamado de Power Supply On (pino 16), é responsável por permitir o desligamento da fonte via software, assim como o de ligá-la também pelo mesmo processo. Isso só é possível pelo fato de existir, nesse pino chamado de Power Supply On, um sinal TTL (Transistor-Transistor Logic). A fonte mantém esse sinal em um nível baixo enquanto o computador está ligado. Se ele estiver desligado o PS_ON fica em nível alto e as tensões nos outros pinos não são fornecidas. Com ele em um nível alto é possível ligar ou desligar o computador através de softwares, do modem ou da placa da rede. O segundo pino com função interessante é o Power OK (pino 8). Através dele a fonte "informa" à placa-mãe que tudo está funcionando bem. Se houver qualquer problema com esse sinal ou se ele deixar de ser transmitido, o computador será desligado automaticamente. Na imagem abaixo podemos ver uma placa-mãe detectando o mau funcionamento de uma fonte graças a ele:

Mau funcionamento da fonte

Para um usuário mais convencional que possui um HD, um gravador de DVD e uma placa de vídeo mediana, não deve se preocupar com a potência de sua fonte. As fontes que acompanham os bons gabinetes, ainda que os mais simples, são capazes de alimentar esse conjunto sem qualquer problema, mas para usuários que usa uma placa de vídeo como a GTX660TI, então uma fonte de no mínimo 750W é necessária.

Nota:  Uma parte das fontes de alimentação de PCs pode ser vista de fora, sem a necessidade de se desmontar o gabinete, conforme ilustra figura abaixo. Em destaque podemos ver o conecttor de entrada de energia, a chave seletora de tensão, a chave geral e a ventoinha, que extrais o ar quente do interior da fonte. O problema é que junto com o ar quente essa ventoinha aspira o pó que está dentro do gabinete, mas parte dele não é jogado para fora e fica preso nas pás da ventoinha e na parte metálica que a protege. Vale a pena ficar atento se não existe sujeira em excesso nas frestas e na própria ventoinha. Existem cadas em que a quantidade de sujeira presa nestes locais é tão grande que ela fica com enorme dificuldade em girar, às vezes, gerando até barulhos desagradáveis. Quando isso acontece é preciso fazer uma limpeza o quanto antes, evitando problemas maiores.
Gabinete visto por trás
Medindo as tensões de uma fonte de alimentação ATX

Fontes de alimentação podem apresentar defeito, resultando em mau funcionamento do micro. Um procedimento simples é trocar a fonte suspeita por uma que com certeza esteja boa. Entretanto, é também simples fazer uma rápida verificação nas tensões de uma fonte ATX usando um multímetro. É preciso saber medir a fonte de duas formas: com carga e sem carga, ou seja, isoladamente e conectada ao micro.

Medindo uma fonte de alimentação ATX sem carga

Para medir uma fonte ATX sem carga, desconectado do micro, é preciso inicialmente fazer com que seja ligada. O simples fato de estar conectada na rede elétrica não é suficiente. Como sabemos, os micros possuem um botão Power no gabinete, que atua sobre o conector Power Switch na placa-mãe, que por sua vez envia um sinal de ligamento para a fonte de alimentação ATX. Quando a fonte não está conectada no micro, podemos ligá-la fazendo uma ligação direta entre dois dos seus pinos, usando um clip de papel, como mostra a figura abaixo. O fio verde (pino 16) deve ser ligado através do clip a qualquer pino que tenha fio preto (terra).

Nota: "Jumpear" fio verde com fio preto.

O fio verde é um só, mas existem vários fios pretos, você pode escolher qualquer um deles.

Ligando uma fonte ATX com um clip metálico para papel

É preciso deixar o clip conectado para que a fonte permaneça ligada. Não deixe o clip tocar em placas ou circuitos do computador. Lembre-se que este tipo de teste é para a fonte isolada, ou seja, não instalada no computador. Você verá que o ventilador interno da fonte começará a funcionar assim que o clip for conectado. Uma vez com a fonte ligada você pode usar o multímetro para conferir suas medidas. A ponta de prova preta deve ser conectada a qualquer pino que possua fio preto.

Medindo a tensão de um conector molex
Observando a fonte de +5 volts

Por exemplo, nos conectores para alimentação de discos rígidos, unidades de CD e DVD, temos fios pretos (terra), vermelho (+5V) e amarelo (+12V). Na figura (indicar figura) vemos a checagem do fio de +5V. A figura (identificar figura) mostra as faixas de tolerância para cada uma das saídas de uma fonte ATX.

Faixa de tolerância
Saída Intervalo Min. Nom. Max. Unid.
+12VDC ±5% +11.40 +12.00 +12.60 Volts
+5VDC ±5% +4.75 +5.00 +5.25 Volts
+3.3VDC ±5% +3.14 +3.30 +3.47 Volts
-12VDC ±10% -10.80 -12.00 -13.20 Volts
+5VSB ±5% +4.75 +5.00 +5.25 Volts

De um modo geral, ao medir uma fonte de alimentação sem carga você observará valores sensivelmente maiores, normalmente até 10%, acima dos valores da tabela. Note ainda que as fontes ATX 2.2 (usam conector principal de 24 pinos) já não possuem mais a tensão de -5V. Já a versão ATX 2.1 (conector de 20 pinos) tem a saída de -5V, e sua tolerância é de 10%. Confira as tensões da fonte, levando em conta o código padrão de cores:

Cor do fio e sua tensão nominal
Fio Tensão Nominal
Preto 0V
Vermelho +5 Volts
Branco -5 Volts
Amarelo +12 Volts
Azul -12 Volts
Laranja +3,3 Volts
Roxo +5 Volts Standby

O fio roxo fornece uma tensão de +5V usada quando o computador está em standby (+5VSB). Esta saída de voltagem está ativa quando o computador está desligado )porém ligado à rede elétrica, é claro).

Importante: Não deixe as parte metálicas das pontas de prova encostarem no clip, ou você poderá queimar a fonte!!!
Medindo uma fonte de alimentação ATX com carga

Além de saber medir as tensões da fonte de alimentação desligada do computador (sem carga), precisamos também saber medi-la em pleno funcionamento, conectada ao computador. O procedimento é um pouco mais delicado, pois corremos o risco de causar um curto-circuito por distração, encostando uma ponta de prova entre pontos diferentes do circuito.

Para fazer a medição, recomendamos que inicialmente, como o micro desligado, você encaixe a ponta de prova preta do multímetro em um conector correspondente a um fio preto do conector ATX na placa-mãe, veja FIGURA. Encaixe com firmeza, a ponta de prova ficará presa dentro do conector. A seguir ligue o computador e use a ponta de prova vermelhar para medir cada um dos pinos da fonte. Não precisa encaixar com força a ponta de prova vermelha, basta tocar o metal correspondente ao fio dentro do conector para verificar a voltagem. Se forem medidas voltagens abaixo da especificadas na Tabela Faixa de tolerância, troque a fonte.

Medindo a fonte conectada à placa-mãe

No momento, esta categoria não possui nenhuma página ou arquivo multimídia.